Testemunhos

TESTEMUNHO DA CLÁUDIA

Meu nome é Cláudia, tenho 46 anos, sou casada há 25 anos com o Welington e sou mãe de 2 lindos filhos, a Vitória com 17 anos e o Valdê Neto, que, com 19 anos foi morar no céu.

Participo da Comunidade Católica Senhor Jesus Naiot desde o começo de tudo. Foi na comunidade que aprendi que Deus me ama e que me chama a uma santidade que me levará ao céu. Deus me trouxe por amor à essa comunidade porque sabia que precisaria me fortalecer com sua palavra para enfrentar os desafios que a vida nos impõe. Foram e são muitos desafios.

Fiquei na comunidade até janeiro de 2011, quando resolvi (sem consultar a Deus) que daria um tempo. Me afastei por 2 anos da comunidade e de Deus. Pensava que só indo à missa aos domingos já estaria cumprindo meu papel de cristã. Comecei a sentir um vazio muito grande dentro de mim, mas fui vivendo assim até que em novembro de 2012, quando aparentemente estava bem, meu filho começou uma tosse e no dia do 20 de novembro, dia de seu aniversário de 19 anos ele teve uma febre alta e foi levado ao hospital em Goiânia.

O diagnóstico: Pneumonia e sinusite, mas como se tratava de um jovem forte de 1.92m de altura, o médico achou por bem libera-lo para se tratar em casa. Ele só piorou e não dormiu naquela noite, quando o dia amanheceu voltamos com ele à pressas de Ouro Verde onde morávamos para Goiânia novamente.

Chegando ao hospital ele respirava com muita dificuldade. Quando o médico examinou, me chamou no consultório e disse: – Mãe seu filho vai direto para a UTI. E me perguntou: – A senhora tem fé? Pois só um milagre para salvar seu filho. Meu chão sumiu… No meu coração eu sentia um misto de sentimentos, dor, medo, fé, desespero, esperança, tudo se mistura dentro de mim.

Ele ficou 5 dias naquela fria UTI e todos os dias às 18:00hrs eu e meu esposo entrávamos para vê-lo. Quanta dor ao perceber que ele só piorava. Lutei muito nesses dias e não aceitava a possibilidade de ficar sem ele. Até que no dia 26 de novembro eu e meu esposo, por ver que nosso filho estava sofrendo muito, resolvemos fazer nossa oração a Jesus de maneira diferente e foi quando entregamos nosso filho para que Deus fizesse a sua vontade e não a nossa… O coração em pedaços… Às 21:05hrs daquele mesmo dia ele faleceu. E agora? Como será? Onde ir? É nessa hora que vemos nossa pequenez e a grandeza de Deus que nos dá uma força sobrenatural.

Nosso filho tão amado foi sepultado no dia 27 de novembro, dia de Nossa Senhora das Graças e foi nas mãos dela que eu segurei firme. Quanta dor, e é exatamente nesse momento que Deus mostra quão grande é seu amor. Ele envia anjos para nos ajudar e de muitos que Ele enviou, estava lá um casal que tive a graça de ganha-los como padrinhos de crisma: José Antônio e Dulceny ou simplesmente Toninho e Dulce. Na minha dor me visitaram e me fizerem recordar das promessas de Deus e me relembraram através da palavra de Deus que existe o Paraíso que a missão do meu filho foi cumprida e que a minha ainda está a se cumprir.

Hoje eu sei que o grande milagre aconteceu na vida do meu filho… O milagre da ressurreição por Jesus Cristo Nosso Senhor e Salvador.

Foi então que em janeiro de 2013 retornei para o lugar que para mim é um pedacinho do céu, Naiot, uma obra de Deus para curar e libertar. Deus havia me dado um sonho profético, onde o demônio me perseguia numa floresta quando de repente me deparei com uma porta, a porta da Capela do Santíssimo na Naiot, quando entrei pude escutar uma voz forte e ao mesmo tempo doce que me dizia: Aqui ele não te pega!

Daquele dia em diante sirvo na Comunidade com muito amor e gratidão. Voltei ferida, machucada e Deus cuidou de mim através de abraços, sorrisos e principalmente com a oração de cada irmão que me ajudam a caminhar por um mesmo objetivo… santificando nossas vidas, acolhendo e amando os que chegam e os que lá estão.

Voltei e sou curada e liberta por Jesus de todas as minhas dores. Saudades tenho demais, mas Deus pai me leva a acolher e amar tantos outros que Ele coloca a minha volta.

Aprendi na dor que não somos nada sem Deus e que devemos sempre escutar a sua voz. Melhor que vir pela dor, é vir por amor.

Hoje estou coordenadora dos jovens e sou muito feliz e agradecida a Jesus e a intercessão de Nossa Mãezinha, que tanto amo, e que me confiaram tamanha graça.

Afinal, sei que nosso lugar é o céu e lutarei com todas as minhas forças para chegar até lá, onde ficaremos todos juntos de novo, louvando e bendizendo o Senhor e será para sempre.

Amém!!!

Cláudia Gomes de Sousa e Silva.